Queridas noivinha, mãe, amiga…enfim, MULHER. Nesta data, em que comemoramos o nosso dia (por que só um??? deveriam ser todos), resolvi, além de parabenizá-las, postar um texto que acho que será útil para reflexão, principalmente daquelas que iniciarão uma nova etapa da vida: o casamento.

Não é para amedrontá-las, de forma alguma, mas serve apenas como um alerta, pois há não muito tempo atrás o papel da mulher resumia-se ao de mãe, sempre pronta a atender e nutrir, sem ser dado a menor importância aos seus desejos e necessidades.

O mundo gira, a mulher evolui e apesar das conquistas dos últimos anos, numa cultura basicamente machista como a nossa, algo teima em não mudar: o entendimento de suas reais funções e de sua diversidade de interesses e necessidades.

Cabe a nós, mulheres, que expressemos verbalmente o que nos vai na alma, pois o macho não pode adivinhar…

Essa reportagem, realizada com a escritora americana Linda Breen Pierce autora de best-sellers sobre o assunto em questão, saiu numa Edição Especial da Revista Veja em maio de 2006 e acho que pode nos auxiliar nesta luta diária de desempenhar vários papéis ao mesmo tempo:

A Ordem é Simplificar

Se você é do tipo que acorda cedo, enfrenta engarrafamento, várias reuniões ao longo do dia, almoça o que dá, passa horas ao telefone e em frente ao computador respondendo a e-mails, depois volta para casa com a impressão de que precisava de mais horas para fazer tudo o que gostaria, e ainda tem muito mais a fazer em casa, saiba que não está sozinha. Você é uma típica mulher moderna – e tem motivos para reclamar.

Os números estão a seu lado. Uma brasileira dedica seis vezes mais tempo aos afazeres domésticos, nos dias de semana, do que o companheiro – quatro horas e 28 minutos, contra 47 minutos dele.

Aos sábados e domingos, a jornada feminina, que inclui trabalhos fora e dentro de casa, é de cinco horas e 26 minutos, enquanto a masculina não passa de três horas e 21 minutos, menos de dois terços da delas.

O segredo para ter mais tempo, propalam os estudiosos, é simplificar a vida – uma frase fácil de entender mas não tanto de praticar. Isso não tem nada a ver com largar tudo para abrir uma pousada no Nordeste ou viver sem TV.

Simplificar é, antes de tudo, equilibrar o tempo gasto com o trabalho e a vida pessoal. A ordem é gastar menos, querer menos, ganhar menos até. Mas ainda assim estar muito feliz. “É recuperar o controle do próprio tempo. É preciso estar disposto a abrir mão de coisas e valores para viver com o que realmente importa em sua opinião.

Menos é mais!
Uma série de estudos lista atitudes capazes de simplificar a vida cotidiana. São dezenas de idéias adaptáveis a diversos estilos de vida que, uma vez postas em prática, podem ser realmente eficazes. Confira as principais e veja o que melhor se encaixa para você:

• Compre menos: pergunte-se antes de qualquer compra: “Eu realmente preciso disso?”. Dê uma volta ou espere um dia antes de fechar o negócio.

• Desentulhe sua vida: acumular objetos, roupas, sapatos, maquiagem, livros e CDs, sufoca. Mantenha apenas o que você usa de fato no dia-a-dia.

• Opte por uma casa menor: transforme pelo menos um dos ambientes em um local muito confortável para sua família. É mais prazeroso do que viver num ambiente pouco aconchegante mas imenso.

• Faça uma limpa em seu guarda-roupa a cada três meses: se você não usa alguma peça há mais de um ano, livre-se dela.

• Inverta as prioridades: pare de gastar tempo para poupar dinheiro, gaste dinheiro para poupar tempo. Nada compensa atravessar a cidade para comprar um conjunto de copos com um desconto pífio.

• Otimize o uso de seu e-mail: a tecnologia está a seu favor. Além de poder filtrar e-mails indesejáveis (correntes, remetentes desconhecidos, spams), é possível direcionar as mensagens em pastas específicas: urgentes de trabalho, pessoais, de familiares e de lazer.

• Vá para a cama às 9 da noite pelo menos uma vez por semana: é uma decisão simples que, a longo prazo, pode ser muito profícua. Levantar mais cedo dá mais disposição para enfrentar o dia.

• Coloque suas contas em débito automático: não há nada mais complicado e chato do que ter de se lembrar de todos os vencimentos de débitos.

• Tenha apenas um cartão de crédito: estudos revelam que o acúmulo de débitos provoca um stress incontrolável. Se fizer dívidas, controle-as de perto. Viva aquém de suas possibilidades.

• Faça listas de tudo: não fique desprevenido. Prepare com antecedência a lista do supermercado, a dos pagamentos, a de tarefas cotidianas, a do serviço da empregada.

• Vá ao supermercado apenas uma vez por semana e sozinha: uma pesquisa americana mostra que uma pessoa gasta 20% a mais de tempo e 30% a mais de dinheiro se faz compras acompanhado (mas que é bem mais agradável, isto é).

• Admita sua impossibilidade de resolver tudo: o paletó manchado, o vaso quebrado, o ferro que queimou, coisas que dão problema há dois anos e você nunca as levou para o conserto? Jogue fora. A chance de resolver essas pendências depois de tanto tempo é mínima.

• Não tenha medo das compras on-line: hoje os sites oferecem serviços seguros de compras. Poupa-se tempo, muitas vezes dinheiro, e ainda se tem o conforto da entrega em domicílio.

• Procrastinação, não!: não adie tarefas necessárias. A dose de stress é imensa, já que se dorme e se acorda com o compromisso na cabeça por vários dias. Reconheça que adiar tarefas é um hábito. Você pode mudá-lo.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Mas se mesmo com todas essas dicas, você não conseguir dar conta do recado, esperneie, chore, grite, faça valer seus direitos.

Homens na cozinha e dividindo as tarefas domésticas, JÁ!

Tenha um excelente DIA DA MULHER!