Oi, meus amores!

Quero compartilhar um email fofo que recebi de uma leitora. Ela tinha uma pergunta bastante interessante sobre Paris e que poderia ser a pergunta de muitas vocês também… Vejam só:

” Lendo tua descrição de Paris no outono, eu fechei os olhos e me senti presente em cada foto e em cada linha do que estava escrito. Tu descreves uma Paris, não para o turista comum, mas para aquele que quer viver o passado, o presente e o futuro em uma só viagem. Amo Paris desde minha adolescência, e hoje, na maturidade, sonho em conhecê-la. Já fantasiei em ser o “Grande Otelo”, nosso humorista, e chegar lá e morrer. Minhas cinzas seriam jogadas no Sena e eu, enfim, teria voltado para casa. Mas deixando o delírio de lado, pretendo este ano – 2012 – da graça de Deus, realizar este sonho. Não quero Paris no inverno – muito frio, chuva, etc. Nem no verão, quando as margens do Sena imitam nossas praias brasileiras. Quero a Primavera ou o Outono, qual delas seria a estação ideal? Tomo a liberdade de te perguntar porque senti na tua descrição da cidade, ecos de minha própria juventude. Sou gaúcha, moro numa pequena cidade, onde sonhar é a melhor forma de viajar. O filme que estou planejando ver hoje a noite é “Meia noite em Paris”, vou tentar identificar os cenários. Apesar de, como tu dizes, não ser fã do Woody Allen, este filme me surpreendeu. Carinhosamente, Dulcina.”

E aqui, a minha resposta à Dulcina…

” Querida Dulcina!

Que delícia ler o seu email! É tão bom saber que tocamos os corações de pessoas que nem conhecemos face a face, mas que se tornam especiais para nós… É para pessoas queridas como você que eu escrevo.

Paris é mesmo como eu a descrevi. E ela é mesmo, como você a sente. Paris, na verdade, é como cada um a percebe. Ela é feita dos nossos sonhos e das nossas fantasias. Cada pessoa tem a sua Paris. E, para cada um, ela se apresenta de uma forma diversa.

Paris vale a pena ser visitada. Com calma e devagar. Não, com um guia de viagens embaixo do braço. Mas, despojando-se da obrigação de se ver tudo e de se conhecer cada marco. Paris é uma cidade para se deleitar, para se degustar. É um lugar para se ver a vida passar, sentada em um café. Saboreie Paris em piqueniques e em banquetes festivos. Perca-se por suas ruas e encontre tesouros escondidos.

Bem, respondendo à sua pergunta… Paris no Outono ou na Primavera? As duas estações são mágicas e cheias de cor. Mas, Paris na Primavera é rosa. E com isso não dá pra competir…

Minha sugestão é que você tente agendar sua viagem para o finalzinho da Primavera, quase próximo ao Verão, entre maio e junho. É nessa ocasião em que a temperatura fica mais amena, as flores mais evidentes, as pessoas mais alegres. Nessa época, também a vida cultural fica mais agitada, com o começo dos festivais e programações ao ar livre. Ah… e em Paris, faça como os pariesienses. Não deixe de beber vinho rosé e de se jogar pelos gramados verdejantes. Caminhe muito, ande de Velib (um sistema público de bicicletas) e, quando se cansar, revigore-se às margens do Sena.

Espero que você realize esse e todos os seus sonhos! Beijos, Juliana. “

Quer ler mais sobre Paris na Primavera? Clique aqui.

E Paris no Outono? Leia aqui.

Leia também a nossa resenha sobre o filme Meia Noite em Paris.

Fotos: Juliana e Wagner Bragança